Afiliado: Real Alternativa Para Ter Um Negócio Próprio Online

Acordar cedo, sair de casa correndo, pegar trânsito, trabalhar várias horas por dia, gastar dinheiro com vestuário, transporte e alimentação, pegar mais trânsito no retorno e chegar em casa à noite.

Aí começa a 2a jornada: cuidar da família, da casa ou dos estudos.

E – se sobrar tempo, dinheiro e energia – você está liberado para usufruir de seu lazer, hobby ou outra atividade que você gosta!

No dia seguinte, começa tudo de novo… até chegarem suas merecidas férias.

E, se por acaso você perder o emprego, provavelmente estará ansioso para voltar ao mercado de trabalho.

Você se reconhece?

Nós nascemos e vivemos na sociedade moderna. Se olharmos à nossa volta, a maioria das pessoas estuda e trabalha nesse ritmo – nossos pais, parentes, amigos e conhecidos – e acabamos considerando tudo isso normal.

E para nos consolar, pensamos que no passado, tudo isso já foi pior.

No filme “Tempos Modernos” de Charles Chaplin, pós-crise de Wall Street em 1929, haviam várias pessoas desempregadas e muitas outras trabalhando com cargas horárias extensas, em condições subumanas e manuseando máquinas perigosas.

Como podemos reclamar?

No entanto, no fundo de nossa alma, continuamos a desejar um pouco mais de tempo junto à nossa família e amigos, mais lazer e auto-desenvolvimento.

Será que a tecnologia desenvolvida pelo homem já consegue cumprir o prometido e trazer uma melhor qualidade de vida para a sociedade humana?

E, pela primeira vez na história recente, surgem movimentos no Brasil e em diversas outras partes do mundo, que trazem esperança e opções para facilitar a vida das pessoas e de seus négocios: essa esperança se chama internet!

Como cidadãos e consumidores já desfrutamos de diversas facilidades há tempos, como por exemplo, podemos deixar de enfrentar filas em bancos para pagar as contas por internet, podemos comprar produtos de qualquer parte do país – e até do mundo – em vez de nos contentar somente com as opções perto de nossa casa.

Será que essa opção também está disponível para nós trabalhadores?

E, finalmente, podemos afirmar que sim: hoje já há opções para montarmos um negócio digital, com baixo investimento, e podemos trabalhar onde quisermos, desde que haja um computador e uma conexão de internet: essa possibilidade se chama Programa de Afiliados!

E como funciona esse programa?

Várias empresas conhecidas no mercado – como Submarino.com, Americanas.com, Magazine Luiza, Hotmart, entre outras – oferecem a possibilidade a trabalhadores autônomos, de venderem e ganharem comissões pelas vendas e/ou indicações de seus produtos.

As empresas – através dos programas de afiliados – disponibilizam produtos físicos e digitais, de diversas categorias – de produtos de beleza a eletrodomésticos, de cursos online a produtos de limpeza.

Recentemente fui a um evento dedicado a empreendedorismo digital e fiquei bastante impressionada em conhecer diversas pessoas que estão ganhando de R$2.000 a R$30.000 mensais, somente com as comissões dos programas de afiliados!

O mais interessante, diferentemente do que inicialmente poderíamos pensar, são pessoas sem nenhuma treinamento excepcional.

São pessoas de diversas idades, formação profissional variada e de segmentos de mercado distintos, que decidiram empreender na internet. Isso é bom para os profissionais e também para as empresas!

Se você quiser conhecer mais sobre esse assunto, conheça a história de Dani Edson (empreendedor digital há 10 anos) e Wesley Pereira (radialista e empreendedor digital há 1 ano) e como eles conseguiram montar um negócio na internet rentável e com baixo investimento. Eles também desenvolveram o curso Afiliado de Sucesso, para aqueles que querem aprender passo a passo como construir do zero, seu próprio negócio online.

Você se habilita?

Textos, fotos, artes e vídeos estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do site em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia e por escrito.

Diagnóstico e Consultoria de Marketing

Do Marketing Tradicional para o Marketing Digital

O marketing mudou para sempre. Já há até um termo que o define: Marketing 4.0.

Estar antenado a estas mudanças e começar a reavaliar o marketing de sua empresa já é uma necessidade.

Este tema é o que trata o livro de Philip Kotler – Marketing 4.0 – que ajudará os profissionais de marketing e os gestores a navegarem em mundo cada vez mais conectado.

Os clientes têm cada vez menos tempo para dar atenção às marcas.

E cada vez mais, na jornada de compra, são cercados por muitas alternativas.

O que fazer então?

A empresa precisa entender os clientes, obter sua atenção e entregar as mensagens que eles querem ouvir.

Este livro examina como os marketplaces estão alterando a dinâmica dos mercados.

Os paradoxos da conectividade e a fragmentação que está ocorrendo e que irá moldar o consumidor de amanhã.

O Marketing 4.0 avalia a mudança de comportamento do consumidor e direciona as empresas a alcançarem mais clientes e engajá-los mais eficazmente.

Dessa vez, não é um novo movimento de marketing: os profissionais dessa área sabem que dessa vez é muito diferente. Não são só técnicas que mudaram, mas o próprio consumidor.

O Marketing 4.0 fornecerá uma base sólida para as empresas obterem uma visão atual e futura do consumidor, de forma, a estarem preparadas nessa jornada.

Como as Consultorias e Áreas de Marketing Estão se Atualizando?

Parece que há um muro da China que dividem as Consultorias de Marketing Tradicional e Marketing Digital, ou mesmo dentro das empresas, onde é muito comum a estrutura de marketing tradicional e outra para digital.

Na época do “content marketing”, com inúmeros e-books disponíveis na internet para download, vemos muitos artigos com comparações entre marketing tradicional e marketing digital.

Muitos desses comparativos são simplesmente surreais, claramente elaborados por profissionais da nova era que nunca lidaram com o marketing tradicional.

Simultaneamente, os consultores de gestão, parecem que atuam com uma metodologia que não contempla as mudanças do mercado e do comportamento do consumidor.

Na realidade o marketing é mais efetivo, quando acompanha o consumidor em sua jornada de compra: seja online ou offline, mas preferencialmente omnichannel.

Ou seja, o consumidor pode fazer seu pedido online e buscar suas compras através de um drive-thru ou na loja.

Ou ainda conhecer o produto em lançamento em um quiosque e fazer seu pedido online, e inúmeras outras formas para facilitar ao máximo a vida desse consumidor altamente conectado.

Difícil amarrar todas as pontas? Sem dúvida, porque a maioria das empresas ainda não está com seus processos atuais funcionando 100%.

Quando é necessário incorporar novos canais de vendas, novos canais de comunicação, várias ferramentas ainda em evolução, profissionais com diferentes perfis – é aí que o “nó está feito”.

Com todas essas mudanças, a empresa acaba concertando o avião enquanto voa.

E Como os Profissionais de Marketing Estão se Atualizando?

Muitas empresas estão estruturando suas áreas de marketing, dividindo o marketing tradicional (mídia tradicional como TV, rádio, jornal; trade marketing, entre outras ações) do marketing digital, onde uma área nem sempre combina o jogo com a outra.

O consumidor nesse caso, pode ser impactado com mensagens e ofertas sobrepostas e/ou diferentes, tornando difícil a análise do ROI das campanhas, bem como, deixando de aproveitar o investimento da marca de forma consistente.

Por isso é fundamental a integração das ações que “tocam o consumidor”, acompanhando toda sua jornada – desde o conhecimento, engajamento e difusão da marca.

O conhecimento necessário do profissional de marketing se ampliou tanto, que hoje ele necessita se aprofundar em uma determinada especialização.

Tornam-se e cada vez mais raros, os profissionais com conhecimento teórico e prático do marketing integral.

Uma das poucas especialistas do mercado brasileiro que posso citar é a consultora Lucia de Almeida Schröter, do MarketingBiz (www.marketingbiz.com.br).

O marketing é a chave para o crescimento sustentável das empresas. Não é aquele instrumento “PS” (pronto-socorro) que se recorre quando há problemas nas vendas. É um trabalho a médio-longo prazo.

 

Conheça também: especialista fala sobre omnichannel em varejo.